Entre Dois Mundos

A maioria vive no velho mundo
Alguns poucos vivem no novo
Mas comigo tinha que ser diferente
Vivo na fronteira, entre o velho e o novo.

No velho mundo eu sou um ninguém em destaque...
No novo mundo eu sou um alguém promissor...

Entre o velho e o novo estou
Não sei direito quem sou
Posso ser tranquilo como um rio
Como também posso ser
Furioso como uma tempestade.

Entre dois mundos vivo
Atrelados entre dois fios
Um deles é amor
O outro prefiro esquecer
Pois no momento preciso
Trabalhar em mim
Minha força, minha determinação
Minha coragem, minha emoção.

Há coisas que me impulsionam a viver no novo mundo...
Enquanto há outras que me mantém no velho...
Não sei se posso escolher, acho que não quero escolher...

Isso faz parte de mim
Viver em ambiguidade
Sou o literal e o sentido figurado
O igual e o diferente
A noite e o dia
Faço parte de um novo tempo
Onde a esperança é duradoura
Onde a paz é um longo caminho.

Acho que está bom
Do jeito que está
Vivendo entre dois mundos
Onde o ontem serve de aprendizado
Para o hoje produzir um bom resultado
Que no amanhã será vivido.

by Lôh

Comentários

  1. Lindo, profundo. Parabéns. Continue assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha cara, fico mais uma vez grato pelo seu comentário em meu blog.

      Fica na paz...

      Excluir
  2. Lindo poema!Adorei!Você está cada vez mais inspirado nos seus poemas!Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma vez, estou feliz pela sua visita e participação em meu blog.

      Fica na paz e desde já agradeço...

      Excluir

Postar um comentário